quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Sonho.

Ele, o velho amor platônico que possuia os mais belos olhos azuis que se pode imaginar, abriu a porta do carro e desceu naquele lugar que antes era para ela insuportável, aquela cidade de clima quente que lhe trazia as piores lembranças de uma antiga paixão mas ele desce do carro, faz a volta e abre a porta pra que ela também saia, nesse momento ela se sente muito surpresa pois mesmo depois de tantos anos ela tinha medo das nauseas que aquele lugar poderia causa-la mas não, ela não sentiu nada, ela estava ali naquele lugar palco de sua paixão adolescente mas agora já era mulher, esposa casada de aliança de brilhantes pesada na mão. Entrou aonde haviam resolvido almoçar e ele estava lá, sua paixão adolescente comia e bebia com todos aqueles que um dia também foram figurantes de uma história dela e mesmo assim ela não sentiu nada, pegou na mão de seu amor verdadeiro, aquele que a quis quando tudo que ela queria era morrer chorando naquela cama de tanta paixão que sentia, e entrou firme sem olhar para os lados e mesmo sentindo que todos os antigos figurantes e ex protagonista de sua vida olhavam atentos todos os seus passos, ela nem ao menos sentiu vontade de encara-los, estava feliz demais, tinha amor demais e aquela mesa ao lado não era nada na sua vida além de passado. Eles foram embora alguns minutos depois dela ter chegado, ninguém sabe ao certo porque, mas se suspeita que sua ex paixão descobriu que ela era amor mas já era.. ela também descobriu um

Nenhum comentário:

Postar um comentário