quarta-feira, 4 de março de 2015

(IN)felicidade


Dias felizes não produzem textos, isso explica minhas demoras. Sou feliz demais durante muito tempo mas, nunca pra sempre afinal de contas quem é feliz a vida inteira? A felicidade subjetiva e inconstante muda de figura com o passar do tempo e o que antes era ser feliz começa a se desfazer com frases nas entrelinhas, descobertas que arruínam expectativas de uma vida, com tudo isso o estômago dá um nó, a cabeça chega a sair do lugar por horas como se não se estivesse em lugar nenhum realmente. A gente perdoa, tudo passa da boca pra fora mas irá continuar ali, doendo, maltratando todas as vezes que quisermos acreditar que o esforço para que se acredite faz daquelas frases realidade, nada é real, tudo não passa de um “vou resolver minha vida e aí então...” o que se entende é que resolver não passa de arrancar algumas partes que não servem mais e estas seriam: Você. Que tal sair antes de ser tirado a força? Que tal correr logo daqui antes de dissolver como parte de algo que você não suportaria viver novamente?