sexta-feira, 1 de abril de 2011

O remédio

- Ainda bem que você chegou cedo aqui, tenho muito o que contar, há muito tempo que não me sinto bem desabafando com ninguém e você é a pessoa que mais confio no mundo. Já fazem duas semanas que ele se foi e no começo eu estava feliz, eu saí, eu fiquei com dois ou três garotos mas agora está vazio, algumas lembranças estão tomando conta de mim e eu sinto vontade de ligar a todo momento, sei bem que se ligar vai ser pra ouvir frieza e coisas duras e deve ser por isso que seguro tanto os dedos já viciados naqueles números porque sei que é uma questão de orgulho, talvez ele também tenha vontade de ligar, para contar as banalidades do seu dia como sempre fazia antigamente mas o orgulho também deve segura-lo. Te confesso que já não sei mesmo o que fazer, se sento e espero tudo isto ir embora mesmo sem ter certeza de que irá ou se saio por aí nas noites de festa me acabando de rir como manda aquela canção, sem me importar com o que corta por dentro se escolher a segunda opção, corro o risco de perde-lo de vez, ou será que a essa altura eu já perdi e estou tão anestesiada com tudo que houve que ainda não pude notar? Queria que ele entendesse que eu poderia perdoa-lo se ele fosse ao menos capaz de admitir que errou, mas não consigo entender o que diabos esses homens acham que são, pois nunca se dizem errados ou incapazes. Lembro sempre quando ele me dizia que tudo era culpa das minhas atitudes e que eu não tinha mais ''tempero'', que o gosto da nossa relação havia acabado e eu me ajoelhei tantas vezes, dizendo que ia tentar melhorar que tudo ia dar certo, prometia uma coisa que não era eu quem tinha que fazer, eu não precisava melhorar em nada, já era boa demais- ou pelo menos tentava ultrpassando até meus limites para ser- e não era eu quem teria que fazer dar certo pois já fazia demais. Apesar de tudo isso, de saber de todo mal que estava acima de qualquer bem que ele me trazia eu não consigo deixar de sentir saudades, me sinto um tanto masoquista querendo ele de volta mais é que fico olhando pelo lado que já temos tanto construído e não quero ter que passar por tudo aquilo de novo, aquele começo de sempre, aqueles inesperados aparecimentos que fazem o coração quase sair correndo pela boca, eu me adaptei aos horários que tinhamos para ligar e aos dias da semana em que nos viamos e não queria que isso precisasse mudar, ou que tivesse que ser com outra pessoa, me diga você que passou por tanto na vida e hoje sorri escancarado sem permitir nem ao menos questionamentos pela razão de ter olhos cintilando de felicidade?
- Quando pensar em ligar me ligue, eu corro e te dou colo, sei que você vai chorar mas te garanto, quando tudo começa a ser como estava, em algum momento vai ter que acabar e o que você deve aprender é a jamais adiar sofrimentos, pois quanto mais se mexe em uma ferida mais tempo ela vai demorar pra cicatrizar e quanto ao resto só há um remédio que pode resolver e com este terás que ser paciente, o tempo.