quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Diferenças existem para serem respeitadas


      A maioria das pessoas julga aquilo que é diferente, ouvi uma professora falar dia desses que “o diferente assusta” mas quem se “assusta” com o que não consegue explicar, ou conviver não procura tentar entender as razões do outro, pelo contrário as pessoas tendem a acusar, e denegrir  simplesmente porque  o outro não se comporta de acordo com suas expectativas. Chamam isso de etnocentrismo, eu chamo de egoísmo. Achar que  pessoas que não agem iguais ao que se está acostumado estão sempre tentando chamar atenção, as pessoas são suas experiências, elas agem de acordo com seus valores e não tem obrigação de corresponder expectativa de ninguém.

      Aquele que questiona perto de pessoas que não estão abertas à mudança é visto como rebelde porque é muito mais fácil aceitar tudo como já está, é muito mais cômodo balançar a cabeça afirmativamente para tudo e repetir o comportamento do vizinho, do que sair da zona de conforto e pelo menos se perguntar “Qual é mesmo o motivo pelo qual estou fazendo isso?”. Talvez poucas pessoas saibam mas pequenos  questionamentos  constroem grandes coisas.

       Acredito que apontar o outro, e se sentir superior é muito mais fácil para muitos, já que querer compreender e tentar enxergar o outro lado das situações,  leva o ser humano a pensar e este é um ato complicado demais para muitos. Pensar, questionar, duvidar, ir de contra, são coisas grandes demais para muitas pequenas mentes da humanidade.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Curta Reflexão

De início não queria escrever nada sobre isso já que é um fato que não nos permite falar demais ou de menos, as palavras precisam ser pesadas, tudo que se vai dizer precisa ser bem calculado, se trata de uma dor muito grande, estamos falando da perda de pessoas que eram amadas, que tinham família,  amigos, cursavam faculdade, tinham aula de inglês, espanhol, alguns até de dança mas, é impossível silenciar diante de algo que desperta na gente tantas sensações. Com a tragédia, acontece que as pessoas se dividem pela maneira de pensar, uma maioria que se solidariza com a dor das famílias, alguns que nem parecem humanos  fazem piadas de humor negro e péssimo gosto,  e outros que usam a tragédia como ponto de apoio para gritar sobre outros problemas sociais que o nosso país enfrenta. Nesses últimos dois dias, apenas curti alguma coisa que alguns amigos compartilharam em suas redes sociais, li algumas notícias, visualizei imagens, tudo me chocou muito, e não pude deixar de me emocionar com algumas reportagens, depoimentos e homenagens que encontrei em páginas que visitei.
Só hoje decidi declarar algo sobre o ocorrido que considero um alerta. A vida é algo que pode nos escapar em um piscar de olhos, e o que aconteceu na madrugada deste Domingo em Santa Maria me fez refletir como nunca, olhei para o rosto de cada mãe, cada pai, cada irmão e cada amigo que chorava a dor de ter perdido alguém que amava tanto, e vi em cada um deles os meus familiares e amigos, e imediatamente após ver a primeira reportagem liguei para minha mãe só para dizer o quanto a amo pois, são acontecimentos como esse que nos fazem perceber o quão valiosa é a vida, o quão importante é amar as pessoas que te permitiram vir ao mundo, e as que fazem tudo por você, e não é importante apenas ama-las, fazer com que elas saibam disso faz com que a gente viva mais leve, é como se a partir dali qualquer coisa pudesse dar errado, já que as pessoas que te importam na vida estarão sabendo que aconteça o que acontecer elas estiveram com você, em sua mente e coração até o último segundo.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Viver e Sobreviver


Há três tipos de pessoas no mundo, as que já nascem vivendo, as que sobrevivem durante um longo tempo para só depois poder viver, e por último as que apenas sobrevivem. A primeira opção não é uma escolha, trata-se de pessoas que por algum motivo desses que só o universo poderia explicar, nasce com a faca e o queijo na mão. Já as duas últimas dependem unicamente da força de vontade vinda de cada um, pessoas que se acomodam com quase nada, se acostumam com aquele pouquinho que tem, tendem a sobreviver durante toda a vida -e ter olhos largos naquilo que é do outro- já as pessoas com ambição, tendem a sobreviver durante certo tempo até que conquistem o que almejam e passem a viver tão bem quanto quem já nasce vivendo.

As oportunidades são desiguais, variam de acordo com inúmeros fatores; classe social, influência, conhecimento, mas estar desprovido de qualquer um destes não faz ninguém menos capaz, é tudo uma questão de mostrar que está ali, saber por que veio ao mundo, a consequência do esforço e da dedicação é o reconhecimento, que com certeza será dado para aqueles que não desistem dos seus sonhos, não passam a vida inteira sentados no mesmo lugar acomodados com o pouco que recebem.

Talvez alguns julguem ambição, e jamais direi que não é, ambição é como qualquer coisa na vida, o ser humano também precisa de um pouco dela para chegar a algum lugar, mas como tudo na vida, é necessário medir sempre a dose, nada em excesso faz bem, amor demais não faz que dirá ambição. Apenas esteja no mundo dia após dia pensando forte consigo mesmo: Se a vida não te deu a sorte de nascer vivendo, nunca se contente com o sobreviver.