quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Quando errar

Você cresce cheio de valores, cercado de regras que sempre foram o que seria certo a ser feito em qualquer que fosse a situação, enquanto crescia ouvia muitos dizerem: ''Errar é humano'' mas não dava atenção, não precisava de uma justificativa como essa, jamais cometeria erros, o que você não sabia é que quando o ser humano -seja ele qual for- se vê fora do campo regrado tende a utilizar errado a liberdade e todo mundo um dia vai precisar de frases clichês para justificar os erros que cometer, e por mais que algumas vezes você erre sem querer, no fundo vai ter a consciência que se tivesse mesmo seguido o caminho certo não acabaria se tornando alguém fora de sua própria lei.
E em uma manhã que tinha tudo pra ser comum, ela levantou ainda tonta e sem certeza que a noite anterior havia sido real, sentiu como se não tivesse sido ela mesma em seu corpo, não queria acreditar que havia perdido o controle das regras de uma maneira tão incomum, começaram então a vir os flashes de pensamento, toda vez que algum aparecia ela fechava os olhos, respirava fundo e procurava na memória tudo de correto e bonito que já havia feito, conversou nesta mesma tarde com todos os seus camaradas querendo ouvir só coisas do tipo: ''Calma! Não foi assim tão ruim'' só que até para ouvir coisas contrárias a esta precisava contar o que aconteceu e nem disso teve coragem, não se via forte o suficiente para ouvir -mesmo que contada por ela mesma- a história da noite anterior e então continuou fazendo tudo normalmente; sorriu o dia inteiro, leu, escreveu, não chorou, controlou sua naturalidade mesmo se sentindo no fundo de um poço sujo e sem corda para se pendurar e subir de volta, queria só sumir do mundo e de dentro de si para não ter mais acesso aos pensamentos que vinham sem que ela pudesse controlar, quis tirar até a própria vida mas como não podia ir tão longe fez somente o que fazem as pessoas que fogem de seus princípios, regras, e se arrependem logo depois. Fechou os olhos na hora de dormir e disse num sussurro para que só seu coração escutasse: ''Ninguém sabe do seu erro, ninguém nunca vai saber e a mim cabe somente a tarefa de tentar esquecer que existiu, assistir filmes nas horas vagas a semana inteira e não deixar a mente vazia nem por um segundo para não dar oficina ao diabo.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Gostar de mim assim

Eu quero muito que a pessoa perfeita sente ao meu redor e me fale de seus problemas, de sua família, de suas dores e de qualquer coisa que achar que vou caber, mas ao mesmo tempo eu adoro essa fase meio louca, de ser a pessoa perfeita pra mim mesma, de contar todos aquele problemas matemáticos ou físicos que não consigo resolver só para mim, de achar meu pai um bêbado correto e minha mãe uma professora de maternal insuportável as vezes, de morrer de amores pelo carinha que compra pão ali mesmo naquela padaria da esquina e da minha maratona para estar lá todos os dias na mesma hora que o mesmo, e de tudo mais que couber nessa minha vida tão conturbada pelos excessos que eu mesma deixo serem produzidos. Eu não sei mesmo medir os limites para mim, preciso muitas vezes de uma ou duas colunas -que prefiro chamar de amigos- que me sustentem de um lado para outro porque na realidade eu sou mesmo uma coisa meio solta e desajeitada nesse mundo grandão e cheio de ''perfeições'' e você daí se quiser também ser segurança para meus dias cheios de novidades de todas as espécies, cá estou eu para receber sua ajuda e afeto, sempre de coração aberto, sempre uma boba cheia de sonhos e que acha que todo mundo é do bem, e só pedindo por favor que não me faça achar diferente, pois não consigo guardar mágoas de seu ninguém e isso é um problema grave pois estou apta a apanhar muito, até por duas vezes no mesmo lugar.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Nesse contexto, sobrar não é assim tão ruim

Numa conversa legal com um amigo, discutíamos os valores das pessoas atuais, mais precisamente das mulheres que em sua maioria nem possuem mais os tais, é difícil encontrar garotas namoráveis, as mulheres de hoje preferem mesmo serem vistas como pedaços de carne em exposição, competindo -quero dizer degradando-se- entre si, elas lutam pela perna mais grossa, o peito maior, o bumbum mais empinado, não basta para elas uma luta silenciosa e discreta, elas se descabelam por isso, fazem intriga, partem pro ''vale tudo'', algumas são realmente belas e vencem os concursos, claro que de boca fechada, essas competidoras de beleza, em sua maioria namoram com o dinheiro de certos caras que se prestam ao papel de cofre, são homens que não suportam trinta minutos de conversa com uma mulher inteligente e fogem enquanto não precisam responder perguntas, temem não saber a resposta. Enquanto isso, as raras mulheres com conteúdo, que ouvem boa música, leem bons livros, que sabem e têm autonomia para se manifestar sobre qualquer assunto, elas sobram porque quando um rei do paredão* vê conteúdo, se assusta e não tem reação, prefere dar as costas e ir a procura de alguma ''periguete'' cantar pra ela descer, pois esse é o único assunto que está dentro de sua compreensão.
A conclusão é que, quando for um homem de verdade você vai saber, vai se surpreender quando o flagrar procurando seu cérebro ao invés da bunda.

*Rei do paredão: Desocupado e desinteressado e em sua maioria- que me perdoe à espécie- são burros. Infelizmente os ''reis do paredão'' compreendem quase 90% da população masculina.