sábado, 21 de abril de 2012

Coisas que vão no vento

Toda vez que permito que algo ilícito se envolva com meu sangue faço besteiras das quais sempre me arrependo, por exemplo hoje, queria morrer por ter ligado pra você, sumir da face da terra por ter mandado tantas mensagens de texto mas desejar coisas não faz com que elas aconteçam, ou deixem de existir, o que eu tenho que fazer é ensinar para mim mesma: "Menina boba, as coisas não são como você quer que elas sejam, o mundo inteiro vai te decepcionar e só vão gostar de você as pessoas que você nem sequer lembra do nome, quanto mais você quiser abraçar e cuidar de alguém, menos essa pessoa vai lembrar nem que seja da sua existência, gostar só acontece pra quem não vale nada, você vai morrer desejando que quem você quer bem lhe queira bem também mas o afeto só vem de onde a gente nem lembra que existe."
Algumas pessoas só precisam de dias para nos conquistar, algumas com menos de vinte e quatro horas já roubam o nosso coração, e eu só queria que você entendesse que amo o jeito como você me toca e me lembro mais disso do que das vezes que você me fez triste, sou uma boba por sentir tudo tão intensamente mas não me contive em certas situações, essa manhã não consegui me segurar, não quero você pra vida inteira só pensei que você fosse diferente e mesmo que fosse só fingimento você conseguisse fingir por mais tempo que os outros, nunca chorei por alguém em tão pouco tempo mas você me arrancou lágrimas mesmo que querendo me explicar sua maneira de existir. Quero ser sincera com você, estou desistindo, pois não sei o que fazer, como me comportar ou como corresponder as suas expectativas estranhas ou até mesmo inexistentes, quis muito que tivesse sido diferente mas o querer não pode partir de um lado só, eu quis tanto mas nem ao menos sei se você sabia que o que eu tanto queria poderia existir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário