quinta-feira, 8 de março de 2012

Tanta mágica

Agora a vida tinha um certo gosto de magia, não era mais tão sem graça como antigamente; -Mas minha cara, toda magia tem um preço, você tem agora o poder de transformar demônios em anjos, sapos em príncipes e em troca viverás sozinha até o fim dos teus dias, terás interesse, se sentirás apaixonada mas nunca correspondida.
Caminhava pela rua com o céu desabando em tempestade, reconheceu sem querer um sapinho com o qual se divertia em certos dias do inverno passado, mas ele não estava mais tão parecido com um sapo, tinha um certo brilho que você notou ser quente e desejou aquele calor ao seu lado, não quis aceitar o fato de ele apenas ter esperado passar pela sua vida para se tornar o que você sempre quis que ele fosse nela, ele sorriu tranquilo e despreocupado, com o braço pendurado no ombro de alguém que você preferiu não reconhecer, ele pôde dizer "olá" sem ter mágoas mas você sequer conseguiu abrir a boca, só continuou caminhando, levada pelo impulso que o frio fazia que tivesse, dava passos rápidos e toda vez que começava a pensar no que já perdeu, eles tornavam-se mais largos, até que você se perdeu do ponto, tinha passado de onde deveria entrar para estar em casa e já era tarde da noite, sentou ali e resolveu escolher outro sapo, de coração aberto e já sabendo que não o estava pegando para você eternamente, e como besteira pouca é bobagem, não havia mal em fazer os outros felizes já que essa magia maluca que havia te escolhido não te permitia ser.

Nenhum comentário:

Postar um comentário