segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Gostar de mim assim

Eu quero muito que a pessoa perfeita sente ao meu redor e me fale de seus problemas, de sua família, de suas dores e de qualquer coisa que achar que vou caber, mas ao mesmo tempo eu adoro essa fase meio louca, de ser a pessoa perfeita pra mim mesma, de contar todos aquele problemas matemáticos ou físicos que não consigo resolver só para mim, de achar meu pai um bêbado correto e minha mãe uma professora de maternal insuportável as vezes, de morrer de amores pelo carinha que compra pão ali mesmo naquela padaria da esquina e da minha maratona para estar lá todos os dias na mesma hora que o mesmo, e de tudo mais que couber nessa minha vida tão conturbada pelos excessos que eu mesma deixo serem produzidos. Eu não sei mesmo medir os limites para mim, preciso muitas vezes de uma ou duas colunas -que prefiro chamar de amigos- que me sustentem de um lado para outro porque na realidade eu sou mesmo uma coisa meio solta e desajeitada nesse mundo grandão e cheio de ''perfeições'' e você daí se quiser também ser segurança para meus dias cheios de novidades de todas as espécies, cá estou eu para receber sua ajuda e afeto, sempre de coração aberto, sempre uma boba cheia de sonhos e que acha que todo mundo é do bem, e só pedindo por favor que não me faça achar diferente, pois não consigo guardar mágoas de seu ninguém e isso é um problema grave pois estou apta a apanhar muito, até por duas vezes no mesmo lugar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário