sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Estranha sensação.

Este torpor que agora tomou conta de mim é estranho, essa sensação que de repente não me permite sentir mais nada, chega a desesperar. Procuro uma migalha que seja daquele sentimento que me doía como se nunca fosse passar mas não existe mais nada aqui dentro de mim e o que fazer agora? Ao que devo me entregar, sabendo que não há mais querer por ninguém, nem mesmo por quem eu achei que haveria querer eterno?
Agora me vejo a espera do mesmo milagre que eu pedi pra chegar há anos atrás, milagre que eu achei que tivesse acontecido mas que de repente deixou de existir, não sei se era mesmo um milagre e eles não são pra sempre ou se não era e eu me deixei ser feliz demais com uma ilusão. Agora aqui em mim há um oco enorme, ando na rua, olho nos olhos de todos e procuro alguém que me desperte ao menos um querer e mesmo achando que não vou encontrar e serei pra sempre vazio, todos me dizem que vai acontecer de novo, toda aquela furtividade de cores surgindo, toda aquela música desconhecida e cantada por várias vozes, todo aquele frio na barriga e todos aqueles efeitos incolores, inodoros e insípidos aos outros mas completamente notáveis a mim, não sei bem se espero, se acredito ou se só sigo vazia.
Talvez eu não escolha nenhuma destas opções, talvez eu me afogue em etílico e faça milhares de escandâlos, até algum outro milagre aparecer, me segurar com força e gritar: ''Já chega disso, estou aqui.'' ..
ou simplesmente não.

Nenhum comentário:

Postar um comentário