domingo, 4 de setembro de 2011

E pra sempre fim.

E daí a gente acorda e descobre que o sonho era só sonho e o pesadelo era mesmo realidade, atende o telefone e escuta de novo as coisas que todos já cansaram de dizer, e a gente já cansado de saber mas escuta assim mesmo, querendo acreditar. A hora certa do ponto final sempre chega, e quando a gente não aceita e segue em frente com teimosia, as coisas são muito duras com a gente e nos fazem cair de qualquer altura que estivermos.
 Lembro-me exatamente da última vez que pude te ver sorrir, você vestia verde e me perguntou se eu podia te amar para sempre, eu respondi que poderia te amar até depois de sempre. Segundos depois você não estava mais sorrindo e me perguntou se eu podia te amar mesmo se você fosse embora, eu respondi que não só poderia amar como esperar pelo resto de minha vida, depois disso você foi para trás das cortinas e desapareceu, claro que eu podia esperar, se fosse só por você eu poderia mas tudo ficou difuso dentro da história, e não era mais só isso, havia agora toda uma nova vida e o ponto final foi duro comigo, eu não tive mais alternativa, tive que aceita-lo, você teve que aceitar, somos pontos distantes, não cabemos mais, sua vida não completa mais a minha e eu nem sequer sei caber mais na sua e se hoje eu te desse o direito de vir a mim questionar alguma coisa, eu sei que a pergunta que você faria, seria a mesma, se eu posso te amar para sempre, mas não, eu não posso, não posso te amar mais e se eu te desse ainda o direito a um segundo questionamento eu sei que seria também igual a outra daquele mesmo dia, se eu podia te amar mesmo se você fosse embora, mas não, se você tivesse apenas ido embora a resposta ainda seria sim e para sempre mas você agora tem um buraco no fundo do armário, uma fuga de ligação eterna, e eu jamais me permitiria viver algo com ligações eternas no meio. E sobre esse ponto final; antes eram vírgulas e eu tinha direito de falar tudo que quisesse mas agora é o fim, me recuso a falar sobre qualquer coisa ainda nesse sentido. Nunca mais escreverei sobre esse amor, é uma promessa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário