quinta-feira, 10 de março de 2011

''Quando já acabou.''

Nada de ódio quando uma paixão avassaladora chega ao final, há quem prefira chamar essas loucuras cheias de fogo -que eu conheço por paixão- de ''amor'', o que não é bem o caso pois amor é algo que se constrói e carece de certo tempo para isso, enfim, quando algo chega ao fim não há porque se encher de mágoas já que isso só lhe trará mais e mais lembranças daquilo que foi e ao invés de planejar milhões de vinganças milaborantes em função daquelas dores ou ficar a noite toda acordado imaginando como seria se você fizesse a outra pessoa sentir o que você sente. Esse tipo de coisa não muda nada, não faz de você alguém melhor, só te deixa mais frio e até menos humano, já pensou em reciclar o que sente? Em dar a outra pessoa o seu sentimento, de uma forma boa, transformar o ódio que você sente em amor de verdade por alguém que esteja ao seu lado e lhe queira muito bem, ou talvez você já tenha muito sentimento por todos que tem amam, se for desta forma direcione o seu ''amor reciclado'' para algo novo, algo que está por vir em qualquer que seja o sentido, se escolher ter um amor novo que seja de coração, sem querer fazer triste ninguém que esteja no passado, pois assim ainda seria vingaça. Se optar realmente pelo amor em relacionamento entre homem e mulher, espere pra que seja verdadeiro, que venha de dentro, pra que transpareça sinceridade por onde você passar e se não, dê amor ao que nem sabe o que significa, abrace o que é tão pequeno que nem chegue a caber e cuide daquilo que é tão precioso e indefeso que te tem como muro protetor, só desta forma poderás dizer que de tudo que passou, só restou o pouco que era bom nas lembranças, o que havia de ruim não há mais e o que  te move é algo verdadeiro, novo e diferente de qualquer coisa antes vivida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário